Orientador Espiritual

Queridos casais do MCJ,

Como nos dizia o Papa João Paulo II, nos idos tempos de 1981, “a família nos tempos de hoje, tanto e talvez mais que outras instituições, tem sido posta em questão pelas amplas, profundas e rápidas transformações da sociedade e da cultura. Muitas famílias vivem esta situação na fidelidade àqueles valores que constituem o fundamento do instituto familiar. Outras tornaram-se incertas e perdidas frente a seus deveres, ou ainda mais, duvidosas e quase esquecidas do significado último e da verdade da vida conjugal e familiar. Outras, por fim, estão impedidas por variadas situações de injustiça de realizarem os seus direitos fundamentais.

Consciente de que o matrimônio e a família constituem um dos bens mais preciosos da humanidade, a Igreja quer fazer chegar a sua voz e oferecer a sua ajuda a quem, conhecendo já o valor do matrimônio e da família, procura vivê-lo fielmente, a quem, incerto e ansioso, anda à procura da verdade e a quem está impedido de viver livremente o próprio projeto familiar. Sustentando os primeiros, iluminando os segundos e ajudando os outros, a Igreja oferece o seu serviço a cada homem interessado nos caminhos do matrimônio e da família” (Familiairs Consortio, n. 1).

Conforme nos lembra o Estatuto: “o Movimento de Casais Jovens se propõe a ajudar casais a fortalecer seu matrimônio e a vida cristã em família, através da vivência da fé e dos valores cristãos, da dinâmica do amor, e da participação regular e efetiva em grupos de casais e na comunidade paroquial, com a integração dos filhos. A atuação do MCJ está configurada em três eixos principais que marcam todas as atividades do Movimento: oração, formação e serviço”.

Sem detrimento de nenhum dos três eixos que caracterizam o movimento, gostaria de recordar que: “a Igreja vive da Eucaristia. Esta verdade não exprime apenas uma experiência diária de fé, mas contém em síntese o próprio núcleo do mistério da Igreja. É com alegria que ela experimenta, de diversas maneiras, a realização incessante desta promessa: «Eu estarei sempre convosco, até ao fim do mundo»; mas, na sagrada Eucaristia, pela conversão do pão e do vinho no corpo e no sangue do Senhor, goza desta presença com uma intensidade sem par. Desde o Pentecostes, quando a Igreja, povo da nova aliança, iniciou a sua peregrinação para a pátria celeste, este sacramento divino foi ritmando os seus dias, enchendo-os de consoladora esperança.

O Concílio Vaticano II justamente afirmou que o sacrifício eucarístico é «fonte e centro de toda a vida cristã». Com efeito, «na santíssima Eucaristia, está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, isto é, o próprio Cristo, a nossa Páscoa e o pão vivo que dá aos homens a vida mediante a sua carne vivificada e vivificadora pelo Espírito Santo»” (Ecclesia de Eucharistia, n. 1). Por isso, o olhar da Igreja, o nosso olhar, deve estar continuamente voltado para o Senhor, presente no sacramento do Altar, onde descobrimos a plena manifestação do seu imenso amor. “Sem a Missa Dominical, não podemos viver”, já afirmavam os primeiros cristãos. Que toda nossa vida esteja centralizada na Eucaristia Dominical!

Deus vos abençoe!

Pe André Schröer

 

 

 

 

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

 

Queridos filhos…

“Deus é bom o tempo todo… o tempo todo Deus é bom”.

Esta fala do Reverendo Dave, personagem do filme “Deus não está morto”, expressa uma das muitas qualidades de Deus: a bondade. Sim, queridos filhos, Deus é bom, e Ele o é o tempo todo, ontem, hoje e sempre. Aliás, Deus nunca pode deixar de ser bom! Certamente todos nós, em algum momento de nossa vida, já experimentamos essa bondade divina, ora manifestada pelo nascimento de um filho, ora pela saúde, emprego, amizades, viagem… Enfim, por inúmeros benefícios recebidos de Deus.

No entanto, ao vivermos mais uma Quaresma, preparamo-nos para aquela que é a maior manifestação da bondade (poderemos usar como sinônimo de bondade o amor) de Deus, que vai além de todas as manifestações pessoais: o envio de Seu Filho Único, Jesus Cristo, que sofre, morre e ressuscita, por amor a cada um de nós, para salvar-nos. Nisto manifesta-se o quanto Deus nos ama, o quanto Deus é bom… muito bom!!! Portanto, ao trilharmos, mais uma vez, esse caminho quaresmal, gravemos em nosso coração a bondade de Deus, bondade esta que, embora nem sempre lhe correspondamos generosamente, vem ao nosso encontro, insistentemente, convidando-nos à conversão, à mudança de vida. O Senhor mais uma vez, nesta Quaresma, bate à porta do nosso coração, bate à porta de nossa família, de nosso lar, procurando, pedindo, um “espaço maior” para habitar. Tiremos de nosso coração, de nossa vida, de nossa família aquilo que ocupa o lugar de Deus. Manifestemos, através de nossa vida, o quanto Deus é bom, o quanto é bom ser de Deus!

Que as bênçãos de Deus se derramem abundantemente sobre todos e que, dóceis às inspirações do Espírito Santo, possamos abrir-nos, sempre mais, às graças e à bondade de Deus!

Com minha oração e bênção

Padre_Cezar

Pe. Cezar Luis Morbach

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Meus queridos irmãos da bela família MCJ!

Neste tempo Santo da quaresma aproveito para renovar o convite do Senhor: mudar nossa forma de pensar, avaliar, sonhar, isto é o que significa a palavra conversão. Não mudar uma forma de pensar nossa por outra, senão, para pensar conforme os pensamentos do Senhor (Lc 22,42) É tempo de graça, aonde com nossa disponibilidade através do jejum e penitência, cheguemos a uma fé que age pela caridade (Gl 5,6).

Convido você a um tempo maior para meditação, não só em família ou grupo de reflexão, mas também de silêncio interior e reflexão pessoal diante de Deus. Escolha e viva algum gesto concreto de exercício espiritual durante os próximos dias, eles nos ajudam a fortalecer a vontade e dominar impulsos, experimentando aquela “liberdade para a qual Cristo nos libertou”(Gl 5,1).

Muitas coisas estão sendo pensadas no MCJ para os próximos dias e meses. É necessário que empenhemos todas as forças e dons que Deus nos concedeu a fim de que nossas famílias, e aquelas que ainda virão conosco, encontrem em nosso movimento o Deus vivo tão perto de nós. Aos meus queridos casais e toda vossa família, invoco a benção do céu, muito obrigado por tudo.

Pe. Delcio Miguel Reiter – Diretor Espiritual de 2009 até 2015

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. marla dimuro disse:

    Padre Decio Dios te abencoe a cada dia, para salvar os matrimonios jovens de todas as acoes deste mundo cheio de tentacoes.
    Deus te abencoe
    Marla Dimuro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s